Não ao pessimismo

“Não nos deixemos levar por pessoas desiludidas e infelizes; não escutemos quem aconselha cinicamente não cultivar esperanças na vida; não confiemos em quem abafa o surgir de qualquer entusiasmo, dizendo que empreendimento algum vale o sacrifício de uma vida inteira; não escutemos os ‘velhos’ de coração que sufocam a euforia juvenil. Vamos ter com os velhos que têm os olhos brilhantes de esperança! Cultivemos utopias sadias: Deus quer que sejamos capazes de sonhar como Ele com Ele, enquanto caminhamos muito atentos à realidade”. 

L’Osservatore Romano, n. 2479, p.12.