Ensinando o dízimo para as crianças: dicas e ações

O dízimo mirim é um tema que não pode deixar de ser tocado durante a catequese, pois, se entendemos que o dízimo é um compromisso de todo batizado, devemos ensinar isso as crianças desde cedo.

É importante que com o Dízimo Mirim a criança aprenda o sentido da partilha, da ação de graças e de assumir a ação evangelizadora da comunidade. Levantando desde cedo a consciência de que devemos sempre separar uma parte daquilo que temos para devolvermos a Deus, em sinal de nosso agradecimento e gratidão por tudo aquilo que Ele nos dá.

Se conseguirmos implantar no coração dos pequenos e dos jovens a importância e a necessidade da contribuição consciente e generosa, a longo prazo, o trabalho de conscientização dos adultos começa a diminuir, fazendo com que a maior parte dos batizados assumam a sua missão enquanto dizimistas.

Nesse quesito, catequistas, agentes da Pastoral do Dízimo e toda a comunidade podem e devem trabalhar em conjunto, dessa forma fica aberta a participação do dízimo mirim não só aos catequizandos mas também as outras crianças da comunidade.

4 motivos para a implantação do Dízimo Mirim:

1 – Ensinar as crianças o porquê da gratidão que temos com Deus;

2 – Educar as crianças para a PARTILHA, superando o egoísmo;

3 – Ensinar as crianças que, como batizadas, são responsáveis, junto com os demais batizados, pela manutenção e sustentação da comunidade;

4 – Educar as crianças a participarem, elas mesmas, como fazem os jovens e os adultos, da satisfação das necessidades da comunidade, especialmente de sua ação evangelizadora.

O dízimo ajuda a superar o egocentrismo e a vencer o egoísmo porque é uma ação que se faz para fora e não para dentro de si mesmo. Essa ação exige renúncia, doação e generosidade. Portanto, essa é uma das formas de educar para a convivência responsável. Ao contribuir, as crianças e os adolescentes se educam para a partilha, para a solidariedade, para a prática da justiça e do amor.

3 dicas para a implantação do Dízimo Mirim:

1 – Convide as crianças a oferecerem uma quantia que seja o resultado de uma renúncia. O ideal seria que elas tivessem que se abster de algo – um doce, um lanche, um brinquedo – para poder oferecer a quantia correspondente. Assim elas iriam se educando para não oferecer sobras ou restos, mas algo que de fato fizesse a diferença em suas vidas.

2 – Prepare um material próprio – carnês, fichário, fichas, envelopes, comprovantes etc. É uma forma delas se sentirem valorizadas, ao mesmo tempo em que terão mais facilidade de compreender o dízimo numa linguagem apropriada a elas.

3 – Prepare encontros para falar especialmente sobre o dízimo, com algumas dinâmicas, por exemplo. Como material de apoio, você pode utilizar o material “O dízimo na catequese – formando discípulos missionários”, que é um livro que conta com quatro roteiros escritos pelo Pe. Cristovam Iubel a serem refletidos em quatro encontros, podem tanto ser utilizados na sequência, para aproveitar o todo do assunto, ou encontros aleatórios como, por exemplo, um por mês.

Fica a critério de cada comunidade que, melhor do que ninguém, conhece a realidade da catequese e do dízimo local.