Mensagens do Padre Cristovam para as Famílias

 

Os dez mandamentos do casal – 6

LIBERTAREMOS UM AO OUTRO, SEMPRE

O casamento não é não é uma prisão, e ser casado não é o mesmo que ser escravo. Quem casa não se torna propriedade de seu parceiro. É verdade que o compromisso exige renúncias, o que não significa que marido e mulher devam pensar igual, agir igual e estar sempre juntos nos mesmos lugares. Nós temos atividades em comum, e temos atividades que não exigem a presença dos dois. Podemos e devemos ter amigos em comum, mas podemos e devemos ter amigos só de um ou só de outro. Quem ama, liberta o outro, não o aprisiona às suas preferências ou costumes. Isso não anula nem diminui a fidelidade. A diversidade gera comunhão; a uniformidade sufoca e mata.

—————————————————

Os dez mandamentos do casal – 5

ACARICIAREMOS UM AO OUTRO, SEMPRE

O amor se expressa pelo olhar, pelas palavras, pelos gestos, pelo silêncio, pelo toque, pelo sorriso, pela presença, pelo ato sexual e de muitos outros modos. São formas pelas quais nos acariciamos, demonstrando o quanto amamos um ao outro. Nós somos seres sexuados por inteiro. Por isso o amor se mostra de múltiplas formas, e não somente pela relação genital. Há casais que ainda não aprenderam a diferença entre ser carinhoso e “fazer sexo”. O amor se alimenta e necessita de muito carinho. Quanto mais carícia, melhor. Ela renova a parceria e fortifica o compromisso. O ato sexual é um dos componentes de nossa vida amorosa, mas não o único. Para nós o amor passa pela sexualidade, mas vai muito além dela.

—————————————————

Os dez mandamentos do casal – 4

ESCUTAREMOS UM AO OUTRO, SEMPRE

Muitos desentendimentos podem ser evitados quando se está disposto a ouvir o outro de fato. A maioria dos diálogos entre casais são diálogos em que nenhum dos dois está disposto a entender o que o outro tem a dizer. Os dois falam, nenhum dos dois escutam. Quando um se dispõe a escutar, nasce a possibilidade do entendimento. Para o casal que não está acostumado a dialogar com proveito, é interessante exercitar a arte de escutar. Combinem um tempo alternado de fala e escuta, fazendo o esforço para escutar com todo o ser, sem tentar adivinhar o que o outro está dizendo. Assim o diálogo acontecerá de forma natural, aprofundando o relacionamento.

—————————————————

Os dez mandamentos do casal – 3

CORRIGIREMOS UM AO OUTRO, SEMPRE

Porque nos amamos, queremos o bem um do outro; se necessário, nos sacrificamos um pelo outro visando a alegria comum. Vamos até ao ponto de nos corrigirmos sem nos sentirmos ofendidos. Quando se corrige o outro, deve-se corrigi-lo porque se quer que ele se realize, que tenha vida de qualidade. Nesse caso, tanto quem corrige como quem é corrigido somam forças e se entreajudam, conscientes de que o objetivo buscado a dois é mais fácil de ser alcançado. Quando falta o amor, a correção se torna humilhação, revide, vingança. Se for para magoar o outro, é melhor não corrigir e esperar até que se tenha certeza de que é o amor que move à correção, e não o desamor.

—————————————————

Os dez mandamentos do casal – 2 

PERDOAREMOS UM AO OUTRO, SEMPRE

O amor é perfeito em Deus, mas não em nós. Somos humanos e, portanto, limitados. Por mais que nos esforcemos, acabamos por nos ofender mutuamente. Até sem querer nos ferimos… O perdão, então, resgata o amor e o renova. Perdoar é reconhecer que somos imperfeitos; é conceder ao outro o direito de nem sempre acertar. É abrir o coração e a mente à compreensão, aceitando as falhas e os erros como pertencentes ao nosso ser danificado pelo pecado. O perdão é o remédio que cura os tantos desentendimentos aos quais todos os casais, sem exceção, estão sujeitos. Se podemos nos perdoar e recomeçar, por que envenenar a relação com o não-perdão?

—————————————————

Os dez mandamentos do casal – 1 

AMAREMOS UM AO OUTRO, SEMPRE

O amor sustenta a vida. Quem não ama, se esvazia. Nós, homem e mulher, esposo e esposa, colocamos o amor como fundamento da nossa convivência. Esse amor passa pela paixão e se realiza no compromisso. Vai além dos sentimentos, dos desejos, do que os olhos veem. O nosso amor supera os nossos defeitos, as nossas manias, os nossos hábitos. Ele é maior do que o desgaste dos nossos corpos e da nossa memória. Somos uma só carne: o amor nos une de tal forma que, mesmo se pudéssemos nos separar, não o faríamos, porque o amor nos faz fiéis um ao outro até o derradeiro segundo de nossa vida. Tudo na vida do casal é suportável, inclusive as crises, mas nada se resolve sem a presença do amor.